VIEWPOINTS

IMPROVISAÇÃO E COMPOSIÇÃO DE CENA

Lorem ipsum dolor sit amet

Fusce tempor arcu ac urna. Fusce congue eleifend mi. Pellentesque metus sem, elementum eu, rhoncus sed, gravida sit amet, nulla. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Aenean condimentum, odio quis pharetra dignissim, diam nisl dignissim diam, eu interdum magna erat sit amet felis. Etiam non felis at urna tempus luctus. In ullamcorper nisl congue elit. In convallis nibh vitae justo. Quisque ac lectus vitae sem consequat sagittis. Donec turpis nisi, feugiat sollicitudin, fermentum

CONTEÚDO

A partir da técnica dos VIEWPOINTS, estimular um pensamento crítico e a criação de partituras cênicas e composições através das improvisações.

“O treinamento fortalece as relações, desenvolve habilidades e gera uma oportunidade para continuar a crescer. Os viewpoints permite aos atores e colaboradores de praticar criando ficção juntos num trabalho contínuo usando as ferramentas de tempo e espaço. Esta prática contínua mantém o fluxo artístico jorrando, criando cenas e permitindo aos atores e grupos praticarem a língua do palco”. [1]

VIEWPOINTS

Viewpoints, ou “pontos de vista” em português, é uma técnica usada pela SITI COMPANY (SARAGOTA/EUA), introduzido por Anne Bogart, na década de 90, no final do séc. XX.

Em 2012 , o diretor Zé Alex e a atriz Viviane Oliveira , foram fazer o treinamento intensivo de Inverno na sede da SITI Company em New York.

Esta técnica é derivada da dança e foi aplicada na busca de criar alternativas para liberar a coreografia da psicologia e do drama convencional.

“Trabalhando com a perspectiva de que tudo é possível, estes artistas começaram a mudar as regras”. [2]

É uma técnica de improvisação que mantém as interpretações vivas, inseridas no aqui e agora. Através de jogos e composições, cria-se uma linguagem comum à todos os atores do processo, a improvisação torna-se o campo das trocas, dos riscos, da criação.

VIEWPOINTS é: [3]

uma filosofia traduzida em uma técnica para: a) treinar performers b) construir cenas (juntando os fragmentos) c) criar um movimento para o palco, a cena.

Um grupo de nomes dado para certos princípios do movimento pelo tempo e espaço; esses nomes constituem a linguagem para descrever o que ocorre em cena.

São pontos de atenção que um performer ou criador usa/dispõe enquanto está trabalhando.

Os viewpoints são divididos em:

DE TEMPO – tempo, duração, resposta cinestésica e repetição

DE ESPAÇO – forma, gesto, arquitetura, relação espacial e topografia (padrào de chão – desenho/rastro do percurso no chão)

Depois de um determinado período quando todos os atores já estiverem com uma linguagem de troca em comum, inicia-se a fase das COMPOSIÇÕES, cenas que surgem a partir das improvisações e depois são retrabalhadas.

VIEWPOINTS NO BRASIL

Através do diretor e ator Enrique Diaz da atriz Mariana Lima a técnica dos viewpoints foi introduzida na cena carioca, eles participaram do curso intensivo da SITI Company.

Em 2002 os mesmo iniciaram um treinamento para atores, dançarinos e artístas circenses na sede da Intrépida Trupe na Fundição Progresso.

No mesmo ano estréiam o monólogo “A Paixão Segundo GH” de Clarice Linspector com adaptação de Fauzi Arap, espetáculo esse que contou desde o início do processo de criação coom os viewpoints. No final do ano surge o COLETIVO IMPROVISO – grupo formado pelos artístas envolvidos no treinamento na Fundição; para apresentar uma performance na Cinelândia durante o RIOCENACONTEMPORÂNEA.

Em 2004, a Cia dos Atores apresenta seu primeiro espetáculo depois da introdução deste tipo de treinamento na companhia: ENSAIO.HAMLET.

PESQUISA EM VIEWPOINTS

A Cia EnvieZada trabalha com Viewpoints para montar seus espetáculos desde 2003, (todas as peças em www.ciaenviezada.com) porém, desde 2012, quando Zé Alex e Viviane Oliveira foram a NYC para treinar com a Siti Company, a Cia EnvieZada ministra a oficina de improvisação cênica que inclui os métodos de Suzuki e Viewpoints.

Neste mesmo ano a Cia abriu seu treinameno para outros profissionais durante 6 meses no Centro de Dança Debrah Colker (Glória/RJ).

O treinamento se divide em 2 (três) partes distintas: o treinamento em improvisação, chamado VIEWPOINTS (pontos de vista) e composição cênica tendo como base o espetáculo CAMINHOS – Uma Intervenção Urbana. Culminando tudo com uma grande apresentação com a participação dos alunos/atores/performers.

Em 2011, a Cia EnvieZada, estréia em Agosto, estreiou, CAMINHOS – Uma intervenção Urbana, numa criação coletiva da direção, atores e autor através do viewpoints em todo processo de criação da dramaturgia e texto.

Esse espetáculo, totalmente contruido através dos pontos de vista dos atores e da platéia, será o resultado da Oficina (os atores serão aptos a apresentar a intervenção nas ruas da cidade)

OBJETIVO da OFICINA:

O treinamento se divide em duas partes distintas: o treinamento físico, SUZUKI e treinamento em VIEWPOINTS.

Os exercícios deste treinamento combinado, visam a montagem de cena, o acontecimento teatral, a performance.

Através de exercícios e jogos aplicados a cada ponto de vista, aumenta a capacidade de controle de movimentos e reações do ator/performer/dançarino levando-o a criação/composição lúcida e livre.

CONTEÚDO:

Através de exercícios físicos/espaciais desenvolver cada ponto de vista: tempo, duração, resposta cinestésica e repetição; forma, gesto, arquitetura, relação espacial e topografia (padrào de chão – desenho/rastro do percurso no chão), visando a criação de composições cênicas.

1˙parte: treinamento físico / atenção

2˙ parte: exercícios de estimulo e exploração dos pontos de vista

3˙ parte: sessões de improviso

4˙ parte: criação de composições e ensaio de “Caminhos- Uma Intervenção Urbana”

PÚBLICO-ALVO:

- ATORES

- DANÇARINOS

- ARTISTAS CIRCENSES

- ESTUDANTES DE TEATRO

MATERIAL PARA OS ALUNOS TRAZEREM:

- ROUPAS OU BRANCA OU PRETA

- MEIAS GROSSAS E VELHAS

- PENDRIVE com musicas DIVERSAS

Treinamento com a Cia EnvieZada

Improvisação e composição utilizando Suzuki + ViewPoints

Stay featured or remove this badge.